O caminho do risco: arte Kusiwa e inscrições urbanas no processo de reconhecimento de formas de expressão como patrimônio imaterial

Miracy Barbosa de Sousa Gustin, Liana Portilho Mattos, Felipe Bernardo Furtado Soares

Resumo


O artigo propõe uma comparação entre duas formas de expressão cultural em seus processos de reconhecimento como bens imateriais da cultura brasileira. Utiliza, para tanto, a antropologia jurídica e a teoria de Geertz. A análise das etapas do processo de reconhecimento estatal e as diferenças existentes entre os elementos identitários das duas formas de expressão estudadas apresentam-se como pontos chaves para uma possível compreensão acerca das razões pelas quais ocorreu o reconhecimento formal estatal da arte Kusiwa e, por outro lado, as inscrições urbanas permanecem em uma zona difusa, ora criminalizadas, ora liberadas.

Palavras-chave


Patrimônio cultural; Formas de expressão; Reconhecimento.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.